Loading...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

AMAR O DIFERENTE, quem ensinou isso?

Lendo,citando e refletindo o Caio:

Com toda essa diversidade, das pessoas e dos tempos de hoje, surge uma questão:
A quem devo amar?

Amar moralmente significa amar enquanto a pessoa se comporta como a gente.
Se ela for diferente ou se tornar diferente, ou mesmo tiver um comportamento diferente, mesmo que tal coisa seja apenas na área particular e privada ou envolva apenas uma decisão de foro intimo, nesse dia, tal pessoa perderá todos os seus “amados”, pois era amada apenas moralmente.

Para esses, o irmão, o camarada, o amigo, o “amor da sua vida” é o igual, e o próximo é apenas aquele que lhe é semelhante.

Ora, Jesus mandou amar até o inimigo, quanto mais o diferente!

Além disso, Ele disse que amar os que nos amam e tratar bem os que nos tratam bem é apenas um comportamento pagão, posto que é assim que qualquer pagão, minimamente, trata um ao outro.
Acreditar, ter Fé, ter Esperança, para quê? Para amar assim? Para amar o que te agrada?
Amar a quem nos ama, ser amigo de quem nos estende a mão, não exige de nós nada além do que pé no chão, do que sentimento sob controle e do que exercícios diários de racionalidades humanas.

Mas... e transcender?

Jesus disse que deveríamos buscar amar e ser amigos do jeito do Pai (um jeito divino), um amor que é bom para com maus e bons, e derrama Graça sobre todos, que faz nascer o sol sobre o justo e o injusto, sem pensar nas diferenças.

É...quem sabe... um dia... em um momento... por um minuto...Quem sabe a gente consiga imitar o Divino.

sexta-feira, 1 de abril de 2011

pensando e escrevendo...funciona?

Depois de ler e ouvir Viviane Mosé/Extras em seu site (www.vivianemose.com.br) e de ler uma citação da minha irmã Elizete no facebook que dizia: “ Para que levar a vida tão a sério se ela é uma incansável batalha da qual jamais sairemos vivos ?!?!??!? “Bob Marley" deu vontade de escrever assim...

INCANSÁVEL VIDA

Hoje tenho vida
Em parte comprei
A outra aluguei
E um pouco ganhei

Da minha vi
Da do outro ouvi
Nem sempre busquei

Batalha sempre senti
Na pele da vida
Talha de um lado
Bata do outro
Batalha se trava assim

Vencer no fim é pouco
Vencer hoje e todo dia
A morte eu não conheço
Vencer pra mim é vida

Ai que prego essa vida
Vida que quero?
O que quero da vida?
Vivida batalha
De todo dia
Incansável batalha não
Incansável vida!



“Rosane Lourdes” essa é minha.